Tejuaçu

Esse lagarto é conhecido por vários nomes: teiú, teju, tegu e Teupinambis merianae. Seu gênero abarca os maiores lagartos do mundo! Ele está presente na maior parte dos biomas brasileiros assim como outros países da América do Sul. O teju é um animal diurno e toma banhos de sol para regular a temperatura de seu corpo acinzentado com listas e pontos negros.

Jacu

Carcará

Morcego

Borboleta-monarca

Cancão

Peregrino

Goiti-truba

Paineira

Maçaranduba

Jatobá

Sucupira

Ipê

Rasga-mortalha

Raposa

Gato do mato

Guaxinim

Tatu-peba

Cigarra

Tamanduá-mirim

Fungos

Aranha-espinhosa

Orquídea

Gameleira

Tocandira

Tenho certeza que você nunca pensou que uma formiga pudesse ser tão grande! A tocandira, ou Dinoponera quadríceps é uma espécie do nordeste brasileiro e suas operárias são consideradas as maiores formigas do mundo! Seus ninhos chegam a ter 2m de profundidade e possuem inquilinos aracnídeos em suas câmaras. No Parque das Dunas a maior formiga é predadora de um dos menores lagartos do mundo, o lagarto-de-folhiço.

Lagarto-de-folhiço

Este raro lagarto é considerado uma das menores espécies de lagarto de todo o planeta, atingindo no máximo 24 milímetros de comprimento. Seu outro nome é Coleodactylus natalensis. Ele se camufla no folhiço para despistar predadores e come principalmente pequenos insetos, aracnídeos, moluscos e crustáceos. O lagarto-de-folhiço é a espécie bandeira do Parque das Dunas.

Caranguejeira

Lagarto-da-cauda-azul

Esse lagartinho maravilhoso pode ser encontrado no Paraguai, Bolívia e no Brasil com exceção da região Sul e parte da região Amazônica. Também o chamam de Micrablepharus maximiliani. Além da cauda azul que dá o seu nome, possui uma linha que passa por toda a lateral de seu corpo e gosta de viver em habitats abertos e semiabertos como a Mata Atlântica, Caatinga e o Cerrado.

Iguana

Esses répteis diurnos gostam de viver em árvores, mas também podemos encontrá-los no solo e perto de água. O outro nome não é tão difícil, é só repetir: Iguana iguana. No Brasil existem iguanas distribuídas em todos os Biomas. Iguanas gostam de comer vegetais como folhas, brotos, frutos e flores, mas também saem um pouco da dieta para comer pequenos vertebrados, insetos e ovos.

Coral

Essa é a coral, a verdadeira, elas são tão lindas que algumas espécies até a tentam imitar. Também há gente que a chama de Micrurus corallinus. Elas tem uma boca bem pequena e são bem medrosas, zero agressividade. Mas não se engane, suas presas podem inocular um poderoso veneno capaz de te derrubar, então melhor deixá-las em paz!

Teju

Esse lagarto é conhecido por vários nomes: teiú, teju, tegu e Teupinambis merianae. Seu gênero abarca os maiores lagartos do mundo! Ele está presente na maior parte dos biomas brasileiros assim como outros países da América do Sul. O teju é um animal diurno e toma banhos de sol para regular a temperatura de seu corpo acinzentado com listas e pontos negros.

Sagui

Esse primata pequenininho é nativo do nordeste do Brasil e gosta de morar na Mata Atlântica e na Caatinga. Tem gente que os chama de Callithrix jacchus. As pessoas os levaram para outras regiões do país, agora podemos encontrá-los no Centro, Sul e Sudeste. Eles são cinza estriados e quando ficam mais velhos, crescem tufos brancos! Por isso se chamam sagui-de-tufo-branco.

Carrapateiro

Essa ave creme com o dorso marrom-escuro se chama gavião carrapateiro, uma espécie presente por todo o Brasil. Os que usam aqueles nomes difíceis a chamam de Milvago chimachima. Alguns atingem 74 centímetros de envergadura com as asas abertas, e quando as asas são abertas, elas expõem uma mancha branca entre as penas escuras! Tomara que vejam um voando por aí.

Quiri-quiri

Ubaia-doce

Cajueiro

O cajueiro é uma árvore sensacional daqui do Brasil com troncos e galhos retorcidos! Se o solo for bem fértil ela pode chegar a 20 metros, dá para acreditar?! Isso é uns 6 andares. Para quem gosta o nome complexo é Anacardium occidentale L. O sagui-do-tufo-branco rói os galhos do cajueiro e consegue extrair um alimento rico em cálcio no caso de emergência. E o caju é uma delícia!

Guabiraba-de-pau

Essa árvore pode ser encontrada em grande parte do litoral brasileiro, compondo a mata de restinga que vai do litoral do Ceará até o Rio de Janeiro. O nome difícil da guabiraba-de-pau é Campomanesia dichotoma. Elas podem medir de 4 a 8 metros, possui flores brancas lindas entre novembro e fevereiro e oferece frutos comestíveis em março.

Suculentas

O mandacaru, ou Cereus jamacaru DC se você preferir, pertence a segunda maior família botânica das Américas. Ela armazena água em seu interior, fazendo com que sobreviva períodos de seca. Existe também a bromélia da Mata Atlântica, também se chama Aechmea patentissima. Ela pode viver na terra ou usar outras plantas como suporte, mas sem roubar água e nutrientes, ela não gosta que achem que ela é uma parasita.

Cauaçu